Tamanho do texto

A ArcelorMittal anunciou ontem um Plano de Demissões Voluntárias (PDV) para suas divisões Arcelor Mittal Aços Longos, que emprega cerca de 3,4 mil pessoas no País. A medida faz parte de um amplo programa de redução de custos globais, que inclui a demissão de 9 mil funcionários em todo o mundo - 6 mil apenas na Europa.

A companhia, porém, não divulga o número de funcionários que pretende demitir no Brasil.

A iniciativa, segundo a empresa, "faz parte do conjunto de ações já anunciadas pela ArcelorMittal no fim de 2008, para equilibrar a atual situação de descompasso entre a oferta e a demanda do mercado", por causa da crise mundial. O PDV começou a vigorar no mês passado para a parte corporativa e desde ontem envolve o pessoal da produção do segmento de aços longos. O prazo para adesão termina no fim deste mês.

Na ArcelorMittal Juiz de Fora (MG), dos 1.100 empregados, 800 estavam em férias coletivas e retornaram ao trabalho. Na ArcelorMittal Monlevade (MG), onde houve paralisação temporária e escalonada de 390 empregados, a produção também foi retomada. A volta ao serviço também ocorreu em Cariacica (ES), onde 80% dos 440 empregados retornaram. Em Piracicaba (SP), que fez uma parada temporária em dezembro, os 470 empregados retomaram a produção.

A mineradora MMX decidiu prorrogar por mais dois meses o período de suspensão dos contratos de seus funcionários da mina de Corumbá, Mato Grosso do Sul. Os empregados estão parados desde o fim de novembro, quando a empresa decidiu suspender as atividades na mina por causa da redução da demanda mundial por minério de ferro. Segundo a empresa, ainda não é possível vislumbrar melhora no cenário e, por isso, a mina permanece fechada.