Tamanho do texto

Bruxelas, 11 fev (EFE).- O grupo siderúrgico ArcelorMittal advertiu hoje que seu programa de demissões voluntárias poderia afetar mais de 9 mil empregados, como foi anunciado inicialmente, mas deixou claro que, em nenhum caso, serão forçadas.

Na apresentação dos resultados correspondentes a 2008, o presidente da ArcelorMittal, Lakshmi Mittal, disse que, antes de colocar novas demissões, o grupo se concentrará primeiro na redução da terceirização e também avaliará a margem disponível de redução da jornada.

Mittal disse que a redução do quadro de funcionários é resultado direto da desaceleração.

"Se não fosse pela crise, jamais teríamos optado" por essa via, ressaltou, e garantiu que qualquer plano de demissões será objeto de diálogo com os sindicatos. EFE epn/an