Atenta à demanda no mercado brasileiro por aços longos, usados principalmente na construção civil, a ArcelorMittal, maior empresa siderúrgica do mundo, anunciou ontem mais um investimentos para aumentar a produção no País. A companhia vai investir US$ 1,6 bilhão na compra e instalação de equipamentos, como alto-fornos e laminadores, para algumas das unidades que produzem aços longos no País.

Piracicaba (SP), Cariacica (ES), Juiz de Fora (MG) e João Monlevade (MG) são as opções estudadas pela companhia para receber os investimentos.

Com o investimento, a capacidade de produção de aços longos da ArcelorMittal vai aumentar 65%. Das atuais 3,9 milhões de toneladas por ano, salta para 6,5 milhões de toneladas anuais. A previsão é que essa meta seja atingida em 30 meses.

Segundo Gonzalo Urquijo, diretor responsável por aços longos, a demanda interna motiva a série de investimentos nessa linha de produto. "O aumento na capacidade de produção reconhece o importante potencial de crescimento do mercado doméstico e nosso comprometimento de investir no Brasil", afirmou o executivo.

Há menos de cinco meses, a ArcelorMittal havia anunciado outro plano de expansão no segmento de aços longos: o projeto para dobrar a capacidade de produção da unidade de João Monlevade (MG), a ArcelorMittal Belgo (ex-Belgo Mineira), de 1,2 milhões de toneladas de aço por ano para 2,4 milhões de toneladas. O investimento, de US$ 1,2 bilhão, inclui instalação de um alto-forno com capacidade de 1,5 milhões de toneladas, entre outros equipamentos.

Quando esteve no Brasil no final do ano passado para inaugurar a expansão da ArcelorMitttal Tubarão (ex-Companhia Siderúrgica de Tubarão), em Serra (ES), o indiano Lakshmi Mittal, presidente mundial do grupo, comentou o interesse pelo mercado brasileiro. "O Brasil é uma das economias com maior potencial de crescimento do mundo", afirmou Mittal na ocasião. A usina de Tubarão passou de uma capacidade de produção de 5 milhões para 7,5 milhões de toneladas de aço.

A ArcelorMittal Brasil tem 27 unidades industriais para produção e beneficiamento de aço no Brasil, Argentina, Trinidad e Tobago e Costa Rica. A capacidade total de produção da siderúrgica, entre aços planos (insumo para indústria automobilística e eletrodomésticos da linha branca) e longos, é de atualmente 14 milhões de toneladas de aço por ano. Essa capacidade será ampliada para 16,6 milhões de toneladas anuais após a conclusão dos dois investimentos anunciados este ano.

Com a ampliação da produção de aços longos, em 30 meses, a matéria-prima passa a responder por 55% da capacidade de produção da ArcelorMittal Brasil. Os aços planos representarão 45%. Na capacidade atual, a proporção é inversa: os aços longos respondem por 46% da capacidade de produção, e os planos, por 54%.

O grupo siderúrgico também produz no Brasil aços especiais, por meio da ArcelorMittal Inox Brasil (ex-Acesita).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.