SÃO PAULO - Assim como fez ontem a Sadia, a fabricante de celulose Aracruz informou hoje que detectou uma exposição acima do limite estabelecido em suas posições em derivativos financeiros de câmbio, que influenciadas pela grande volatilidade do mercado internacional, ocasionaram perdas financeiras para a companhia. No entanto, a Aracruz não divulgou o tamanho do rombo, alegando ter contratado uma empresa especializada para apuração do valor.

Informou apenas que " a perda decorrente de tais operações pode ter excedido os limites previstos na política financeira aprovada pelo conselho de administração " . Diante disso, o diretor financeiro e de Relações com Investidores da Aracruz, Isac Zagury, apresentou pedido de licença do cargo.

A companhia também informa que sua única exposição cambial remanescente é a dos derivativos em questão e que o caixa da empresa conta hoje com US$ 500 milhões, valor que "não será afetado significativamente" pelos ajustes e verificações contratuais que estão por vir.

Às 11 horas, a ação da Aracruz recuava 13,19% na Bolsa de Valores de São Paulo, negociada a R$ 7,30.

(Murillo Camarotto | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.