As ações PNB da Aracruz foram as que mais subiram no pregão de ontem da Bovespa (15,34%). Segundo analistas, a alta veio na esteira da desvalorização do dólar frente ao real nos últimos dois dias, o que potencialmente reduz as perdas financeiras da companhia em operações no mercado futuro de câmbio.

No início do mês, a Aracruz informou que a consultoria contratada para analisar suas operações com derivativos apurou que o valor justo dos contratos estava negativo em R$ 1,95 bilhão em 30 de setembro. Os contratos, contudo, ainda não foram liquidados, de forma que a desvalorização do dólar reduz a perda potencial. "Como a empresa não zerou seus contratos, a queda do dólar reduz as perdas", disse o analista Luiz Otávio Broad, da Ágora Corretora.

Desde o dia 26 de setembro, quando a companhia sinalizou que as perdas com câmbio futuro poderiam ter excedido os limites previstos em sua política financeira, até o fechamento do pregão de segunda-feira, as ações PNB da Aracruz haviam caído 59,7%. As ações PN da VCP, com 13,99% de valorização, e os PN da Sadia, com 13,62%, vieram logo atrás das da Aracruz no pregão de ontem.

Ontem, a Aracruz informou ainda o cancelamento do pagamento de juros sobre o capital próprio no valor de R$ 84 milhões. Segundo a empresa, a decisão foi decorrente dos problemas enfrentados pela companhia com operações de derivativos e por causa do "atual cenário nacional e internacional". As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.