Tamanho do texto

Cuiabá, 19 - A Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja-MT) estima que os agricultores devem reduzir os investimentos no plantio da próxima safra, principalmente em adubação, por causa da baixa rentabilidade na comercialização deste ano. Durante o lançamento do programa Circuito Aprosoja, o presidente da entidade, Glauber Silveira, disse que irá percorrer 19 polos agrícolas de Mato Grosso para discutir com os produtores o planejamento da safra 2010/11.

Cuiabá, 19 - A Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja-MT) estima que os agricultores devem reduzir os investimentos no plantio da próxima safra, principalmente em adubação, por causa da baixa rentabilidade na comercialização deste ano. Durante o lançamento do programa Circuito Aprosoja, o presidente da entidade, Glauber Silveira, disse que irá percorrer 19 polos agrícolas de Mato Grosso para discutir com os produtores o planejamento da safra 2010/11. Silveira acredita que, na próxima safra, os produtores devem ser mais cautelosos também em relação à época de plantio. Segundo ele, em função dos problemas climáticos da safra 2009/10, neste ano não deve se repetir a corrida pelo plantio antecipado, como ocorreu no ano passado. Outra recomendação da Aprosoja é que os agricultores, neste ano, devem ficar atentos ao mercado de clima, durante o desenvolvimento da safra norte-americana, para aproveitar os melhores momentos para travar os preços. Segundo Silveira, a safra 2009/10 tinha tudo para ser uma das melhores dos últimos anos, com uma produtividade recorde de 53 sacas por hectare, mas os problemas provocados pelas fortes chuvas e ocorrência de ferrugem frustraram as expectativas em Mato Grosso. A produtividade estimada atualmente está em 50,68 sacas por hectare. Um estudo encomendado pela Aprosoja ao Instituto Mato Grossense de Economia Agropecuária (Imea) mostrou que a maioria dos produtores deve ter uma renda nesta safra de R$ 35 por hectare, valor que ele considera baixo, levando em conta que um agricultor que cultiva 1 mil hectares investiu R$ 1,250 milhão para ter um retorno de R$ 35 mil. Em nove cenários estudados pelo Imea, em apenas dois os produtores obtêm lucro com a soja. Em função da baixa rentabilidade, diz ele, muitos produtores não terão condições de pagar a parcela das dívidas que vencem neste ano. Um levantamento feito pela Aprosoja junto aos produtores revelou que 32% deles não pagaram a parcela da dívida no ano passado e neste ano 65% estão sem condições financeiras para realizar o pagamento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.