O secretário extraordinário de Reformas Econômico-fiscais do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, informou que, no momento, o governo não estuda mudanças na alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para operações de crédito. No momento, só discutimos IOF para o câmbio, disse.

Ele lembrou que o IOF ainda incide em outras operações de câmbio como, por exemplo, Investimento Estrangeiro Direito (IED), viagens internacionais e importações de serviços. Segundo Appy, o governo não retirou o IOF das aplicações de IED, porque são investimentos de longo prazo e a mudança na tributação "não faria diferença". "Temos também a preocupação fiscal", ponderou.

Questionado se o governo poderia tomar outras medidas, o secretário respondeu: "Já temos uma série de medidas que foram adotadas para dar liquidez ao mercado interno. Mas não existe restrição do governo de tomar medidas no futuro".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.