Ainda eufórico após inaugurar a extração de petróleo na camada pré-sal, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou ontem uma solenidade no Palácio do Planalto para ironizar os que duvidam da capacidade do governo de viabilizar a exploração das novas reservas em razão do grande volume de investimentos necessários. Ele também respondeu aos que criticam o debate prematuro sobre o uso do dinheiro.

"Jamais imaginei que a gente pudesse chegar a quase cinco mil metros de profundidade e trazer uma coisa que estava incrustada na natureza", disse Lula, acrescentando ter visto no noticiário alguém duvidar disso. "É uma espécie de jogar para baixo, porque a gente não iria ao Espírito Santo se não tivesse a convicção de que, em março de 2009, vamos tirar de 6,5 mil metros de profundidade. Para baixo todo santo ajuda."

Em outra solenidade, desta vez em Belo Horizonte, Lula admitiu que a princípio não acreditava ser possível retirar óleo de uma profundidade tão grande, mas agora se diz orgulhoso de saber que "o Brasil tem uma empresa como a Petrobrás" e "uma engenharia capaz de fazer um milagre como esse
Segundo ele, o governo não sabe quanto petróleo há nas reservas nem tem estimativa do preço. Mas reafirmou a importância de antecipar o debate sobre o uso dos recursos. "Sabem por que eu quero discutir logo para onde vai o dinheiro? Porque, se a gente não discute, os mesmos de sempre, que sempre ganharam com tudo, vão querer se apoderar desse dinheiro antes de ele chegar às finalidades nobres que nós queremos neste País", continuou.

"Se vocês não sabem, 62% dos dividendos de todo o investimento, de toda a renda da Petrobrás são pagos na Bolsa de Nova York", disse ele. "Nós não poderemos, com o pré-sal, ficar na mesma proporção de ficar rico quem está rico e pobre quem está pobre." Lula não mencionou, mas, segundo a Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid), há cerca de R$ 8,3 bilhões do FGTS em ações da Petrobrás.

A exploração do pré-sal não ocorrerá "de hoje para amanhã", disse a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. "É necessário ter cuidados nessa exploração", justificou. "O teste de longa duração do Espírito Santo foi concluído ontem. O de Tupi vai ser concluído só em março."

O capital obtido com a exploração do petróleo deverá ser usado prioritariamente em investimentos na educação e na redução da pobreza, segundo orientação de Lula aos ministros que compõem a comissão interministerial que estuda um novo marco regulatório para o petróleo. Dilma reafirmou que o grupo apresentará a Lula um "conjunto de alternativas" no fim deste mês.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.