Cobrador de fraque pressiona devedor espanhol em meio à crise - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Cobrador de fraque pressiona devedor espanhol em meio à crise

Por Jason Webb MADRI (Reuters) - Se ainda se precisa de uma confirmação da agonia da economia espanhola, ela pode ser encontrada na prática do cobrador de fraque.

Reuters |

A prática consiste em enviar homens vestidos com fraques, como figurantes de um filme de Fred Astaire, para envergonhar os devedores e pressioná-los a pagar suas dívidas. E o negócio vem prosperando.

'No começo do ano, já começamos a notar que a demanda estava aumentando', disse Carlos Granda, que preside o departamento internacional da compania O Cobrador de Fraque.

Com a economia espanhola à beira de uma recessão à medida que desinfla a bolha imobiliária, Granda espera que a empresa desfrute anos de bonança graças às dívidas contraídas por consumidores e empresas durante os anos do 'boom'.

A dívida das famílias do país está em um patamar recorde, acima de 120 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), em resultado do fácil acesso ao crédito que durou anos.

O setor corporativo, em particular o imobiliário e o de construção, luta à medida em que o valor das propriedades despenca.

Em meio a uma taxa de desemprego de 10,4 por cento --a mais alta da União Européia-- e empresas conhecidas, como a Martinsa Fadesa, envoltas em dívidas, a busca por fazer com que os devedores paguem vem se tornando o foco do país.

Os bancos normalmente cobram suas próprias dívidas, mas muitas empresas recorrem a companhias como O Cobrador de Fraque, que a compra com desconto antes de cobrá-la. O processo tem um êxito de 70 por cento.

Granda ressalta o uniforme de sua empresa, que deixa os devedores tensos.

'Temos cobradores com uniformes e cobradores sem uniformes.

Tudo depende da resposta do devedor, mas se para cobrar uma dívida precisamos do cobrador de fraque, o usamos, para que a dívida seja ainda mais notória', disse Granda.

A empresa normalmente começa com uma ligação ou fax, pedindo o pagamento. Se isso não funciona, a cobrança se torna mais agressiva, mas, segundo Granda, sempre dentro da lei.

'Se você é um devedor, me encarrego de dizer isso a todos a sua volta... Seguramente isso vai te incomodar', explicou.

Em muitos países, as técnicas empregadas por O Cobrador de Fraque --que foram copiadas na Espanha com roupas que vão desde palhaços ao personagem Zorro-- não são permitidas.

Em um dos casos de destaques, a empresa cobrava uma grande dívida de um banquete de casamento e ligou para os convidados para que eles pagassem sua parte da conta. Os noivos, envergonhados, pagaram rapidamente.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG