São Paulo - Os cerca de 5 mil militantes baianos do Movimento dos Sem-Terra (MST) que participam de uma marcha entre as cidades de Feira de Santana e Salvador devem chegar hoje à capital. A partida de Feira de Santana ocorreu há exatamente uma semana, no dia 19, para percorrer 108 quilômetros pela BR-324, uma das estradas mais movimentadas da Bahia.

São Paulo - Os cerca de 5 mil militantes baianos do Movimento dos Sem-Terra (MST) que participam de uma marcha entre as cidades de Feira de Santana e Salvador devem chegar hoje à capital. A partida de Feira de Santana ocorreu há exatamente uma semana, no dia 19, para percorrer 108 quilômetros pela BR-324, uma das estradas mais movimentadas da Bahia. A caminhada faz parte do "abril vermelho", a jornada de lutas do MST. Os manifestantes planejam um protesto em frente ao canteiro de obras do metrô no acesso norte, na Rótula do Abacaxi. Amanhã, devem seguir para o Centro Administrativo (CAB) para protestar na sede do Incra. O movimento pretende chamar a atenção para a necessidade de o governo acelerar a reforma agrária no País e lembrar os 14 anos do massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido em 17 de abril de 1996. Na ocasião, 19 trabalhadores foram mortos por policiais militares. "Não podemos permitir que esse crime caia no esquecimento", diz a diretora do MST Luci Barbosa. "É preciso que haja punição para os assassinos." A marcha também quer chamar a atenção para a falta de estrutura nos assentamentos e a lentidão do governo em obter terras para assentar as famílias acampadas. Cerca de 25 mil famílias aguardam por assentamento no Estado segundo a direção estadual do movimento. As informações são do jornal <b>O Estado de S. Paulo</b>.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.