HORTOLÂNDIA - Uma semana após comunicar a demissão de cerca de 800 trabalhadores, a Magneti Marelli inaugurou ontem sua unidade de produção de bicos injetores para automóveis, em Hortolândia, no interior de São Paulo. O investimento total na fábrica foi de aproximadamente 30 milhões de euros.

Ainda sem divulgar estimativas de produção e resultados para 2009, a fabricante de autopeças viu com bons olhos os números de emplacamentos de veículos durante dezembro e na primeira quinzena de janeiro.

Na opinião do presidente do grupo na América do Sul, Virgílio Cerutti, é provável que o processo de queda nas vendas de automóveis no Brasil tenha sido estancado após as medidas tomadas pelo governo federal. " O sistema está reagindo bem e o país tem grande potencial para recuperar essas perdas " , afirmou Cerutti, ao comentar os impactos da crise financeira internacional.

No entanto, o executivo não descartou novos cortes de pessoal no país. Segundo ele, no momento " é difícil prever se haverão outras medidas de redução de custos " . " O mês de janeiro, historicamente, não é significativo nas vendas de automóveis, o que dificulta traçar um cenário para os próximos meses " , acrescentou.

Conforme os dados divulgados nesta semana pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, o volume de emplacamentos de automóveis e comerciais leves na primeira quinzena do ano foi de 94,5 mil unidades, 9,15% maior do que em igual período de dezembro e 1,22% menor do que em janeiro de 2008.

Na semana passada, a empresa informou uma redução de 800 postos de trabalho em quatro de suas oito fábricas no Brasil. Foram atingidas as unidades do ABC, localizadas nos municípios de São Bernardo do Campo, Santo André e Mauá, além da fábrica de Lavras, em Minas Gerais. Antes, a companhia havia cortado cerca de 200 postos de trabalho.

Sobre o assunto, o presidente da Magneti Marelli atribuiu a medida à queda das exportações, principalmente as que tinham como destino os Estados Unidos. De acordo com informações da fabricante, as reduções nos volumes exportados a partir de São Bernardo foram de 80%. E em Santo André, Mauá e Lavras chegaram a 40%.

Questionado sobre o fato de inaugurar uma nova fábrica uma semana depois de realizar um corte de quase 8% de todo o quadro de funcionários no país, Cerutti afirmou que esta seria uma maneira de demonstrar que Magneti Marelli, apesar do momento delicado do mercado, segue com seus planos de médio e longo prazo. Os investimentos da companhia na América do Sul estão incluídos no pacote de R$ 5 bilhões do grupo Fiat programado para os próximos cinco anos. A Magneti Marelli não informa qual parcela é destinada às suas operações.

A capacidade de produção da fábrica de bicos injetores em Hortolândia é de nove milhões de unidades por ano, mas a previsão para até o fim de 2009 é de atingir um volume de três milhões de peças. Deste total, cerca de 80% serão comercializados no mercado interno. A nova unidade possui cinco mil metros quadrados de área construída.

A companhia deverá divulgar nos próximos dias os resultados globais referentes ao ano passado. Para o Brasil, a previsão anunciada em meados do segundo semestre de 2008 era de um resultado próximo a R$ 2,2 bilhões, o que significaria um crescimento de 15,8% sobre o faturamento de 2007, R$ 1,9 bilhão. A América do Sul, onde o Brasil contribui para a maior parte do resultado, responde por 16% das vendas globais da Magneti Marelli, atrás apenas da Europa. Em 2007, o grupo faturou 5 bilhões de euros.

(Guilherme Manechini | Valor Econômico )

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.