Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Após Copom, juros bancários caem

Minutos depois do anúncio de redução de um ponto porcentual na taxa Selic, para 12,75% ao ano, promovida ontem pelo Comitê de Política Monetária (Copom), Bradesco, Itaú, Unibanco, Banco do Brasil (BB) e Santander divulgaram o corte dos juros de algumas de suas modalidades de crédito. Com exceção do Santander e de uma linha de crédito do BB, todas as demais modalidades anunciadas terão queda na taxa mensal de 0,08 ponto porcentual, o que corresponde à queda integral feita pelo BC.

Agência Estado |

No Bradesco, as taxas passam a vigorar a partir de hoje. Dez linhas de crédito terão os juros reduzidos em 0,08 ponto porcentual. Para pessoa física, a taxa máxima do cheque especial vai recuar para 8,56% ao mês; no crédito pessoal, para 5,91%; e no CDC veículos, para 2,68%. As empresas serão beneficiadas pelo recuo dos juros das linhas de capital de giro, para 5,04% ao mês. Já no caso do crédito para antecipação de recebíveis de duplicatas, cheques e cartão de crédito os juros foram reduzidos para 4,52%.

No Unibanco, o corte do BC será repassado integralmente para pessoa física nas linhas de crédito pessoal parcelado e cheque especial e, para empresas, nas modalidades de capital de giro e cheque especial. As novas taxas, que não foram divulgadas, começarão a vigorar a partir de segunda-feira.

No Itaú, controlado pelo mesmo grupo do Unibanco, a política de repasse integral do corte do BC foi igual e também valerá a partir de segunda-feira. Entre as modalidades para pessoa física, serão beneficiadas as linhas de crediário automático, que cairá para 7,01% ao mês, e o cheque especial, para 8,87%.

Para pessoa jurídica, as taxas dos produtos "giropré automático" e cheque especial vão recuar para 7,01% e 8,87%, respectivamente. "A redução da taxa básica de juros é muito bem-vinda para estimular o consumo e a atividade econômica, num quadro em que o risco de aceleração da inflação é muito pequeno", afirmou o presidente do banco, Roberto Setubal, em nota oficial.

No Banco do Brasil, a taxa máxima do cheque especial cairá de 7,99% para 7,91%; no CDC, de 3,19% para 2,62%; e para material de construção, de 1,88% para 1,78%. Entre as linhas voltadas para pessoa jurídica, as taxas do BB Giro Rápido vão recuar de 2,50% para 2,40%, a maior redução promovida pelo. Já o cheque ouro empresarial terá taxa de 7,81% ao mês, com recuo de 0,08 ponto no mês.

O Santander promoveu um corte maior, mas algumas de suas taxas continuam acima das verificadas nos demais bancos. No cheque especial, o juro vai recuar 9,85% para 9,70% ao mês e, no crédito pessoal, de 6,69% para 6,36%. Apesar do sinal positivo, os cortes promovidos terão efeito pequeno no bolso do consumidor.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG