SÃO PAULO - Os gastos mundiais com tecnologia devem atingir os US$ 3,4 trilhões em 2008, num aumento de 8% em relação ao ano passado. Apesar da crise econômica nos EUA e do dólar fraco, o setor permanece no caminho para chegar a esse valor, previsto pela consultoria Gartner.

"A desaceleração econômica puxada pelos EUA não dá sinais de que esteja causando uma recessão nos gastos com tecnologia (TI)", afirmou o vice-presidente do Gartner, Jim Tully. "Nos anos subseqüentes teremos uma redução no crescimento, mas os fundamentos continuam fortes. As regiões emergentes, a troca de sistemas obsoletos e algumas mudanças de tecnologia têm puxado a expansão", acrescentou o analista.

De acordo com o Gartner, os gastos com TI têm seguido tendências estratégicas na indústria. Entre eles está a mudança do sistema proprietário de hardware e software pelas companhias para um modelo de ativos virtualizados, pagos como serviço. Para a consultoria, a mudança na utilização de TI para um modelo baseado na internet (cloud computing) vai levar a um intenso crescimento em algumas áreas da indústria e a retrações em outras.

Em geral, ativos serão utilizados com maior eficiência, e acreditamos que o efeito geral no crescimento do mercado será neutro, afirmou Tully. Também reconhecemos que há um potencial considerável para um ritmo mais acelerado de crescimento, disse.

Pela avaliação do Gartner, os gastos mundiais com softwares devem crescer mais de 10% neste ano em relação a 2007, para US$ 196 bilhões. O segmento de serviços, por sua vez, deve fechar o ano com expansão de 9,4%, para US$ 819 bilhões.

Os maiores gastos nominais, porém, continuarão sendo na área de telecomunicações, embora o crescimento em relação a 2007 deva ser de 8%. No total, segundo o Gartner, os gastos nesse setor serão de US$ 1,98 trilhão neste ano.

"A maioria das companhias atualizaram seus sistemas de software no período entre 1997 e 2001, e portanto estamos no meio de um ciclo de atualização que deve se estender até depois do fim desta década", afirma a também vice-presidente do Gartner, Joanne Correia. "Ainda assim, a atualização de sistemas não representa um aumento equivalente no mercado", explica ela, afirmando que o modelo de uso de softwares como serviço têm impactado diretamente o mercado mundial. Muitos desses fatores têm afetado o crescimento do mercado à medida que as empresas trocam seus ativos por serviços cobrados por volume de uso, acrescenta.

Segundo o Gartner, a taxa de crescimento no mercado de serviços de TI tem melhorado apesar dos problemas macroeconômicos mundiais. Os motivos para isso têm sido o investimento das empresas na melhoria de seus processos internos com o objetivo de redução de custos, além da redução de risco de operação garantido com o uso da tecnologia para atuar em mais de um mercado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.