O apagão pode ter sido uma topada que ajuda a caminhar, disse ontem o vice-presidente da República, José Alencar. Para ele, o País precisa diversificar sua matriz energética e investir em fontes alternativas - nuclear, térmica, eólica e a gás.

"Há topadas que ajudam a caminhar. Então esperamos que essa seja uma topada que nos ajude a ter uma energia com segurança absoluta para que isso não se repita", afirmou, durante inauguração de um centro de inclusão social do Senai, no Rio.

Para Alencar, é fundamental descobrir o que provocou o apagão e, se tiver havido falha, que ela seja corrigida. Em sua opinião, a construção de usinas hidrelétricas perto de grandes cidades não é ideia viável. "Não há potencial hidráulico em toda parte, mas podemos fazer energia eólica, térmica ou a gás", disse Alencar. Para ele, o episódio pode servir para ser repensada a matriz energética.

O vice-presidente defendeu que o País repense sua posição em relação à energia nuclear. "O Brasil tem todas as condições de fazer o enriquecimento de urânio com fins pacíficos, mas não pode porque assinou o tratado de não-proliferação de armas. É preciso ver se isso está funcionando com outros signatários. A verdade é que não é bem assim", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.