Tamanho do texto

Jerusalém, 27 out (EFE).- A Autoridade Nacional Palestina (ANP) comemorou o relatório divulgado pela Anistia Internacional (AI) sobre a discriminação na distribuição de água na Cisjordânia que destaca as injustiças de Israel.

"A exploração por Israel de nossos recursos naturais e a política discriminatória (na distribuição) de água nos territórios ocupados palestinos são indefensáveis", diz o diretor da Autoridade Palestina de Água na ANP, Shadad Atili.

Segundo o diretor palestino, o relatório "destaca a crescente conscientização internacional sobre o impacto e a injustiça da política hídrica de Israel".

Anistia Internacional denunciou em seu dossiê que Israel nega aos palestinos o direito ao acesso livre e adequado à água potável, ao controlar os recursos compartilhados, situação que a organização considera uma política de discriminação.

"Israel só permite aos palestinos o acesso a uma parte dos recursos hídricos compartilhados, que estão na maior parte na Cisjordânia ocupada, enquanto os assentamentos israelenses ilegais recebem praticamente abastecimento ilimitado", segundo Donatela Rovera, investigadora da Anistia.

Mais de 80% da água procedente do aquífero subterrâneo é compartilhado com a ANP para fornecer aos colonos judeus em território ocupado, enquanto os palestinos recebem da mesma fonte 20% dos recursos.

Atili afirma que Israel viola o direito internacional sobre os recursos naturais, um dos principais empecilhos no conjunto do conflito entre palestinos e israelenses, e acusa ao Governo israelense de aplicar na Cisjordânia um regime de apartheid. EFE elb/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.