SÃO PAULO - Depois de alguns atrasos provocados por uma operação da Polícia Federal que colocou sob suspeita uma licitação vencida pela MMX Amapá, o grupo Anglo American fechou a compra da participação do empresário Eike Batista na IronX, empresa que reúne dois projetos que pertenciam à MMX Mineração e Metálicos, da qual Batista é o acionista controlador.

Pela participação de 63,3% que Batista e outros investidores relacionados a ele detinham na companhia a Anglo American desembolsou R$ 5,4 bilhões, o que representa R$ 28,147 por cada uma das 193.462.160 ações ordinária adquiridas.

Para garantir o fechamento do negócio depois que operação da PF levantou suspeitas sobre as empresas do grupo, Eike Batista se propôs a pagar uma indenização do próprio bolso que cobrirá qualquer prejuízo eventual que a Anglo American possa ter como resultado da investigação.

Como a transação configura transferência de controle, a Anglo American fará uma oferta pública de aquisição (OPA) para os acionistas remanescentes da IronX, pagando o mesmo preço pago ao controlador, ou seja, R$ 28,147 por ação. Hoje, o papel da IronX fechou a R$ 26,75 na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Segundo comunicado divulgado pela empresa, se OPA for bem sucedida, para obter 100% do capital da IronX, a Anglo American terá que desembolsar, já inclusa a parte paga a batista, R$ 8,6 bilhões.

A companhia estrangeira também pretende realizar a oferta para o fechamento de capital da empresa e a saída da mesma do segmento de listagem especial do Novo Mercado da Bovespa. Os acionistas da IronX irão delibera sobre o assunto em assembléia agendada para o dia 18 de agosto.

Ainda de acordo com o Fator Relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), se a avaliação econômica realizada para apurar o valor de mercado das ações apontar um valor superior àquele pago a Eike Batista e aos demais acionistas vendedores, a Anglo American deverá decidir se irá ou não prosseguir com a OPA de fechamento de capital. Se a Anglo American decidir não prosseguir com a oferta, ela manterá e dará andamento à oferta de alienação de controle.

Para que o negócio entre Anglo America e Batista fosse fechado uma série de etapas anteriores deve ser observada. Primeiro, a MMX foi cindida em LLX Logística, que era um braço da MMX, e IronX, que passou a reunir os projetos MMX Minas-Rio e MMX Amapá. Feito isso, as duas novas empresas foram listada em bolsa e os acionistas da MMX receberam ações da LLX e da IronX.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.