RIO - O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Jerson Kelman, comemorou hoje o deságio médio de 16,15% obtido no leilão de linhas de transmissão e subestações que integrarão usinas produtoras de energia a partir de biomassa à rede básica de distribuição nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Segundo ele, o resultado aumenta o otimismo em relação à concorrência para o leilão das linhas de transmissão das usinas do Rio Madeira (Jirau e Santo Antônio), marcado para quarta-feira. Hoje, a espanhola Cobra Instalaciones Y Servicios arrematou o lote A, com receita anual permitida máxima de R$ 48,55 milhões e deságio de 18,01% para construção de 14 linhas e sete subestações. O lote B, com nove linhas e sete subestações, foi arrematado pela Elecnor Transmissão de Energia, com receita máxima de R$ 34,767 milhões e deságio de 10%.

O terceiro lote, com 13 linhas e oito subestações, ficou com o consórcio Transenergia (Furnas, Delta Construções e Fuad Rassi Engenharia), com receita de R$ 34,5 milhões e 19,15% de deságio.

Os diretores Alfonso Brunner, da Cobra, e Rogério Campos Vieira, da Elecnor, afirmaram que esperam conseguir financiamentos no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para levantar parte do dinheiro para as obras. "Apostamos no Brasil e contamos, entre outras fontes, com o BNDES", destacou Brunner.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.