Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Anbid: fundos brasileiros perdem R$ 11,6 bi em setembro

A indústria brasileira de fundos perdeu R$ 11,6 bilhões em setembro, ou 1,01% do patrimônio líquido, de acordo com dados divulgados hoje pala Associação Nacional dos Bancos de Investimentos (Anbid). No período, a indústria de fundos registrou R$ 132,5 bilhões de aplicações e R$ 144,1 bilhões em resgates.

Agência Estado |

Num mês de alta turbulência no mercado financeiro, os fundos de ações tiveram captação líquida negativa (saques maiores que depósitos) inferior à observada pelos fundos de curto prazo, pelos multimercados e pela categoria de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs).

Os multimercados foram os mais castigados pela crise, com saques líquidos de R$ 6,9 bilhões. No ano, essa categoria de fundos perdeu R$ 36 bilhões, para um patrimônio líquido de R$ 254 bilhões no final de setembro. No período, a segunda categoria mais afetada pelos saques foram os FIDCs. As perdas foram de R$ 2,467 bilhões, reduzindo o patrimônio desse tipo de fundo para R$ 38,4 bilhões. Na seqüência, os fundos de curto prazo foram os mais prejudicados, com captação líquida negativa de R$ 1,16 bilhão, encolhendo o patrimônio dessa categoria para R$ 39,74 bilhões.

Os fundos de ações tiveram depósitos de R$ 4,026 bilhões e resgates de R$ 4,788 bilhões, com perdas de R$ 761 milhões no mês de setembro. O resultado, aliado à queda do preço das ações, encolheu o patrimônio da categoria para R$ 140 bilhões. O único grupo de fundos que contou com volume de depósitos maior do que o de resgates foi o de fundos de previdência, com R$ 591,9 milhões.

Dados da Anbid apontam também que os fundos de curto prazo apresentaram a melhor rentabilidade do mercado em setembro, com 1,09% em média - o retorno foi ponderado pelo patrimônio líquido. Com o resultado, a rentabilidade no ano atingiu 8,75%, ou 99,8% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). No quesito rentabilidade, houve destaque para os fundos cambiais, com 16,31%. A categoria de fundos Dívida Externa rendeu 16,81%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG