Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Analistas esperam vendas recordes de iPhone com lançamento em 20 países

San Francisco, 10 jul (EFE) - O novo iPhone da Apple, o telefone celular mais desejado do mundo, chega amanhã a 20 países, e os analistas falam hoje de vendas que poderiam superar os bilhões de dólares em alguns dias. Os fanáticos pelo iPhone 3G, que oferece conexão com internet muito mais rápida que o antecessor, começaram a formar hoje filas na porta de algumas das lojas da Apple no mundo todo com a esperança de ser os primeiros a comprar um dos aparelhos. Na loja da Apple em Nova York, alguns compradores acampam desde a última sexta-feira, apesar de o iPhone poder ser comprado em qualquer dos estabelecimentos da operadora AT&T, que tem o contrato em exclusiva nos Estados Unidos. O iPhone 3G é também notavelmente mais barato que o antecessor, pois, em quase todos os países, está fortemente subvencionado pelas operadoras de telefonia que conseguiram obter os contratos exclusivos para a venda do aparelhos. Nos EUA, a primeira geração do iPhone saiu há um ano ao mercado por US$ 600, mas o iPhone 3G custará US$ 199 e US$ 299, dependendo da memória do telefone. O iPhone mais caro do mundo será vendido na Bélgica, onde o aparelho custará até 615 euros (US$ 968), pois a legislação proíbe as operadoras de subsidiar aparelhos em troca de contratos a longo prazo. A Apple espera introduzir gradualmente o popular telefone em um total de 70 países. A primeira geração do telefone - da qual foram distribuídas seis milhões de unidades - foi vendida em seis paíse...

EFE |

Segundo fontes da empresa de consultoria Piper Jaffay citadas pela imprensa americana, a Apple venderá 12 milhões de iPhone 3G em 2008 e esse número triplicará no próximo ano.

A própria Apple fixou como meta distribuir dez milhões de telefones até o fim do ano.

Para Apple, as possibilidades de faturamento são imensas.

Embora o iPhone tenha representado apenas 5% do volume de negócio internacional da empresa, o telefone é muito lucrativo para a companhia, que ganha entre US$ 100 e US$ 400 com cada aparelho vendido, dependendo do modelo e do acordo com a operadora.

No entanto, os analistas preferem manter a cautela e asseguram que o lançamento de amanhã não supõe garantia de altas para as ações da firma.

Os analistas que já testaram o novo iPhone se mostraram, em geral, satisfeitos com o aparelho, mas lamentam que a duração da bateria seja pequena e que o sistema de GPS se baseie unicamente no serviço de mapas do Google.

Outros alegam que um iPhone barato e à venda em tantos países poderia se transformar em um objeto ao alcance de quase todos e perder a atração que hoje leva milhares de fanáticos a fazer longas filas às portas das lojas da Apple no mundo. EFE pg/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG