Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Anadarko acha petróleo no pré-sal

A petroleira americana Anadarko anunciou ontem ter encontrado um reservatório de petróleo abaixo da camada de sal na Bacia de Campos. É a primeira descoberta no pré-sal brasileiro sem participação da Petrobrás.

Agência Estado |

Em comunicado oficial, a Anadarko não informou o volume encontrado, mas disse que a estrutura do reservatório tem características semelhantes às do poço 1-ESS-103A, no campo de Jubarte, de onde a estatal já extrai petróleo do pré-sal.

A descoberta da Anadarko foi feita no projeto batizado de Wahoo, no bloco exploratório BM-C-30, onde a companhia tem como sócios a também americana Devon, a canadense Encana e a sul-coreana SK. "Nosso primeiro teste como operadora no pré-sal no Brasil é um sucesso retumbante, já que os dados espelham outras descobertas significativas nesta área promissora", afirmou, na nota, o vice-presidente de exploração e produção internacional da Anadarko, Bob Daniels.

O poço descobridor de Wahoo chegou a 6 mil metros de profundidade e deve ir aos 7 mil metros antes que o trabalho de perfuração seja encerrado. A Anadarko informou que o reservatório encontrado tem cerca de 60 metros de espessura, segundo geólogos, o suficiente para classificá-lo como de médio porte. Os reservatórios do pré-sal na Bacia de Santos, onde estão as maiores descobertas recentes do pré-sal, por exemplo, têm mais de 100 metros de espessura.

Wahoo está localizado a cerca de 30 quilômetros a sudeste do Parque das Baleias, onde fica o campo de Jubarte, com reservas que podem chegar a 4 bilhões de barris. É próximo ainda de Roncador, o segundo maior campo em atividade no Brasil. Na região, a profundidade de água chega a 1,5 mil metros, inferior aos mais de 2 mil metros da área do pré-sal na Bacia de Santos. Para especialistas, as águas mais rasas e a existência de infra-estrutura podem facilitar o desenvolvimento das reservas.

A Anadarko é sócia de outra área com potencial de descoberta no pré-sal, no bloco BM-ES-24, na Bacia do Espírito Santo, operado pela Petrobrás e batizada de Serpa. Assim que concluir as atividades em Wahoo, a sonda Deepwater Milleniun, contratada pela companhia americana, segue para o litoral capixaba para terminar o poço de Serpa, cujos trabalhos foram suspensos por falta de disponibilidade de equipamentos.

"Os resultados obtidos até agora nos encorajam e validam nossa decisão de trazer a sonda para o Brasil", afirma Daniels. A companhia pretende perfurar pelo menos outros quatro poços nas bacias de Campos e Espírito Santo até o ano que vem.

Nenhuma das sócias do BM-C-30 tem participação em blocos da área do pré-sal em Santos, onde a Petrobrás descobriu Tupi e Iara, além de outros cinco projetos com volumes ainda não estimados. A camada de sal pode ir de Santos ao litoral baiano.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG