A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) começa a examinar hoje a proposta dos investidores estrangeiros da companhia aérea de transportes de carga VarigLog para tentar se enquadrar à lei brasileira e não perder o comando da empresa. Ontem, a Volo Brasil, controladora da VarigLog, distribuiu um comunicado anunciando os novos sócios: uma chinesa e um americano, ambos naturalizados brasileiros.

A chinesa é Chan Lup Wai Ohira, irmã de Lap Chan, representante do fundo de investimentos americano Matlin Patterson no Brasil. O outro sócio é Peter Marcussen Miller, funcionário do Matlin Patterson e membro do Conselho de Administração da VarigLog. A nomeação dos dois é uma tentativa do Matlin Patterson de se enquadrar ao Código Brasileiro de Aeronáutica, que limita a participação de estrangeiros a no máximo 20% do capital com direito a voto na empresa.

A Anac havia dado até hoje para o Matlin Patterson se enquadrar. Caso contrário, a concessão da empresa poderia até ser cassada. Os outros sócios brasileiros da VarigLog, Marco Antonio Audi, Marcos Haftel e Eduardo Gallo, haviam sido destituídos da empresa por ordem judicial, a pedido do Matlin. A decisão judicial prevê ainda que os novos sócios brasileiros indicados pelo Matlin Patterson devem comprar as ações de Audi, Haftel e Gallo por cerca de US$ 1,3 milhão - ou US$ 428 mil para cada um deles. Os três têm 80% das ações com direito a voto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

Leia mais sobre a VarigLog

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.