Não temos mais ilusão. Os países em desenvolvimento serão afetados pela desaceleração global, afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em discurso no Comitê de Desenvolvimento do Banco Mundial, em Washington.

O ministro avalia que, apesar das emergências deflagradas pela crise financeira internacional, erradicar a pobreza tem de ser prioridade. "Para evitar sérias conseqüências, o mundo em desenvolvimento precisa de um choque contracíclico", diz o comunicado divulgado depois da reunião realizada ontem durante o Encontro Anual do FMI e do Banco Mundial.

O discurso de Mantega representou o grupo de países (Brasil, Colômbia, República Dominicana, Equador, Haiti, Panamá, Filipinas, Suriname e Trinidad e Tobago) no Banco Mundial. Segundo o documento, o ministro brasileiro observou a seus colegas que o "tsunami financeiro" pesa sobre os mais pobres no mundo, como resultado dos elevados preços de alimentos e combustíveis. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.