O vice-presidente do Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS), Marco Polo de Mello Lopes, considerou legítima a medida que dá preferência à compra de aço americano nas obras de infraestrutura nos EUA. Citando o exemplo da política de compras da Petrobrás, que privilegia o produto nacional em suas plataformas e navios, Lopes disse que o governo americano tem o direito de adotar ações em prol do consumo interno.

"Conceitualmente, me parece legítimo. A medida pode ser considerada protecionista, mas vejo como uma forma de estimular o consumo de produtos americanos." Ele disse ainda não ter condições de avaliar os impactos da decisão na indústria brasileira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.