#145;Domínio do Google é preocupante #146;, diz cartógrafo - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

#145;Domínio do Google é preocupante#146;, diz cartógrafo

‘Domínio do Google é preocupante’, diz cartógrafo Por Felipe Serrano São Paulo, 28 (AE) - O cartógrafo William Cartwright é presidente da Associação Internacional de Cartografia (ICA, na sigla em inglês) e pesquisador da universidade Instituto de Tecnologia Real de Melbourne (RMIT), na Austrália. Apesar de ser um usuário ativo de mapas online e gostar do design dos mapas do Google, ele faz ressalvas ao domínio da empresa nos serviços de localização pela internet, pontos que serão discutidos na conferência bienal da ICA que acontecerá em novembro, no Chile.

Agência Estado |

"Na perspectiva de um cartógrafo, o Google Earth é ótimo porque o globo virtual faz uma representação muito precisa da Terra. Mas o argumento contrário é que o Google não faz isso de graça. É uma grande empresa de publicidade e estão buscando anunciantes que influenciam no resultado do mapa", diz.

Para ele, os serviços de mapas online são m uma mudança na história da cartografia. "Antes, os mapas eram feitos por agências governamentais, com o dinheiro público, e não havia interesse comercial. Agora são empresas privadas que fazem e distribuem mapas em busca de publicidade. O Google já se tornou a maior dessas empresas. O tempo vai dizer se isso é uma coisa boa ou ruim", afirma.

O cartógrafo dá o exemplo da Austrália, onde vive, em que o Google praticamente acabou com seus competidores. Os rivais hoje chegam a usar a base de dados do buscador. O Google Maps é bastante procurado para fazer rotas, planejar férias, incluindo a versão pelo celular. Desde que a ferramenta Street View foi lançada, pessoas interessadas em comprar imóveis, olham no Google Maps qual é a aparência da casa.

O Street View também é criticado por causa da falta de privacidade. "Em muitas imagens, é possível ver o interior das casas pelas janelas", aponta ele.

A representação nos mapas nas telas de celulares ainda são muito imprecisas e devem ser melhoradas, para Cartwright. "Os mapas não estão adaptados às telas pequenas. Tente ver uma região ampla, é quase impossível identificar claramente os pontos. Os símbolos usados também não foram criados para a tela do telefone."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG