Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Amorim vê risco para mecanismo de crédito se Equador não pagar BNDES

BRASÍLIA - O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou hoje (24) que o não-pagamento do empréstimo feito pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ao governo do Equador para construção de uma hidrelétrica coloca em risco o próprio mecanismo de financiamento da operação. O mecanismo usado foi o convênio de pagamentos e créditos recíprocos (CCR), para que a operação fosse financiada com juros mais baixos.

Valor Online |

A atitude do governo equatoriano põe em risco "o CCR, que nunca havia sido contestado", disse Amorim. "Isso é algo inédito e coloca em risco o próprio mecanismo", acrescentou o ministro.

A Hidrelétrica de San Francisco foi construída no Equador por um consórcio liderado pela empreiteira brasileira Norberto Odebrecht. O consórcio recebeu financiamento do BNDES, mas o governo equatoriano se recusa a pagar a dívida, de US$ 243 milhões, alegando que houve problemas de funcionamento na hidrelétrica um ano depois da construção.

Na última semana, o Equador acionou arbitragem internacional para não pagar a dívida.

(Agência Brasil)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG