Por Juan Lagorio NOVA YORK (Reuters) - A American Express, quarta maior emissora de cartões de crédito dos Estados Unidos, informou nesta quinta-feira que cortará 7 mil postos de trabalho, reduzirá outras despesas e reavaliará investimentos para economizar 1,8 bilhão de dólares em 2009.

"É certamente um passo na direção correta", disse James Ellman, administrador de portfólio do fundo de hedge Seacliff Capital. "A companhia concluiu que será impactada por uma recessão liderada pelos consumidores."

A American Express incorrerá em encargos com custos de reestruturação antes de impostos de entre 370 milhões e 440 milhões de dólares. Os cortes de empregos vão eliminar 10 por cento da força de trabalho da empresa.

A companhia planeja economizar 700 milhões de dólares com cortes de empregos, suspensão de aumento de salários de nível administrativo para 2009 e com congelamento de contratações para postos em aberto.

Os cortes "nos ajudarão a passar por um dos mais desafiadores cenários econômicos que já vimos em muitas décadas", disse Kenneth Chenault, presidente do conselho e presidente-executivo da American Express, em um comunicado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.