Tamanho do texto

A retomada de liquidez nos países emergentes é distribuída de maneira desigual entre as economias da América Latina, segundo estudo do Instituto de Finanças Internacionais (IIF, na sigla em inglês). A pesquisa mostra que os investidores estão mais seletivos e dividem a região em dois grupos: os solventes e os que mantêm congeladas suas relações com organismos internacionais.

No primeiro, estão Brasil, Chile, México, Peru e Colômbia, que vão receber 92% do fluxo de capitais para a região. O restante, 8%, vai para os países do segundo grupo: Argentina, Venezuela e Equador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.