Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Alta no aluguel em São Paulo é a maior desde 1997, informa a Fipe

SÃO PAULO - O valor médio dos aluguéis na capital paulista apresentou alta acumulada de 4,82% em 2008, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), por meio do Índice de Preços ao Consumidor (IPC). A elevação, apesar de ficar abaixo da inflação geral de 6,16%, foi a mais expressiva desde 1997, quando a variação foi de 10,22%. Em 2007, a alta havia sido de 2,34%. Em 2006, de 1,11%.

Agência Estado |

Em dezembro do ano passado, a alta do aluguel foi de 0,42%, conforme apuração da Fipe. O aumento foi também mais expressivo que o de novembro, de 0,39%.

De acordo com o coordenador do IPC, Antonio Evaldo Comune, a variação mais forte no preço dos aluguéis tem ligação com o comportamento do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), que é utilizado como base para o reajuste do aluguel no País.

Desde a segunda metade de 2007, o indicador, que tem grande participação dos preços do atacado, captou diversos choques de alta sofridos pelas matérias-primas nos mercados internacionais.

Em 2008, o IGP-M acumulado em 12 meses chegou a ultrapassar a marca de 15% em julho, mas chegou ao final de dezembro com uma taxa acumulada de 9,81%. Mesmo assim, foi repassado integralmente para vários contratos durante o segundo semestre.

Comune lembrou também que os proprietários de imóveis também aproveitaram o momento de aumento de renda da população e de grande aquecimento do mercado imobiliário para obter um ganho maior.

Questionado se, para 2009, haveria a possibilidade de uma queda no valor dos aluguéis, ele praticamente descartou esta hipótese, já que, apesar das expectativas de redução na atividade econômica nacional e, consequentemente, na renda da população, há uma maior dificuldade de os inquilinos negociarem contratos mais baratos.

Para ele, de maneira diferente da que acontece com outros preços, como os de alimentos, os consumidores não contam com muitas opções para diminuir o impacto com o gasto com aluguéis. "Com os alimentos, quando há algum aumento, eles podem diminuir o consumo. Já com os aluguéis, não dá para eles simplesmente mudarem para uma casa mais barata no outro mês", disse, ressaltando que não pode ser descartado, porém, um aumento menor para os aluguéis em 2009.

Leia tudo sobre: aluguéis

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG