SÃO PAULO - Apesar da crise internacional, as exportações de frango devem crescer neste ano, ainda que em níveis mais modestos do que no ano passado. Avaliação feita pela Associação Brasileira de produtores e Exportadores de Frango (Abef) mostra que há problemas no consumo de alguns mercados importantes, mas isso não significa que haja uma crise de demanda por alimentos.

Assim, a expansão em volume deve chegar a 5%, menos da metade do aumento verificado no ano passado.

Em todo o ano de 2008, a receita com vendas externas subiu 40%, para US$ 6,9 bilhões, com embarques de 3,6 milhões de toneladas, aumento de 11% ante 2007. Na avaliação da Abef, embora as vendas representem novo recorde, o resultado poderia ter sido melhor se não fosse o impacto da crise econômica global, que ganhou corpo em outubro.

Os efeitos da crise são mais claros no resultado de dezembro, quando as exportações somaram 267 mil toneladas, com baixa de 11% em relação ao mesmo mês de 2007. Mesmo com o dólar mais caro, a queda em receita foi ainda maior do que em volume, com redução de 18%, para US$ 427 milhões, por conta do preço final menor.

A intenção do setor é abordar outros mercados em 2009, a fim de diversificar destinos para a venda do frango brasileiro. A agenda prioritária, segundo a entidade, reúne países como México, Indonésia, Malásia, Jamaica, Filipinas, Senegal e Argélia.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.