SÃO PAULO - A retirada da proposta do consórcio italiano CAI pela Alitalia deixou a companhia aérea à beira de um abismo, afirmou o primeiro ministro do país, Silvio Berlusconi. Ontem, a CAI retirou sua oferta de compra de 1 bilhão de euros para resgatar a empresa aérea, que tem prejuízos de cerca de US$ 3 milhões por dia.

"Recebi a informação da CAI de que ela retirou sua oferta", afirmou Berlusconi. "Podemos estar à beira de um abismo", acrescentou ele.

Antes da retirada da oferta, Berlusconi afirmara a trabalhadores de um dos sindicatos da empresa que não "havia alternativa" à proposta da CAI, que previa demissões de cerca de 3 mil funcionários. Segundo o primeiro-ministro, 20 mil empregados (o total da Alitalia) perderiam o emprego caso as negociações entre sindicatos e o consórcio falhassem.

Seis dos nove sindicatos da companhia, incluindo o de pilotos e tripulantes, recusaram a proposta da CAI. O consórcio estabeleceu uma data final para que o plano fosse aceito, prazo que expirou ontem. Em comunicado, afirmou que seus integrantes votaram em unanimidade pela retirada da proposta após o prazo ter sido ultrapassado sem resposta dos sindicalistas.

"(Valor Online, com agências internacionais)"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.