Roma, 22 set (EFE).- O presidente da Aviação Civil Italiana (Enac, em italiano), Vito Riggio, assegurou hoje em entrevista que terá que suspender os vôos da deficitária companhia aérea Alitalia se não apresentar um plano de salvamento antes de 3 ou 4 dias.

Riggio, que se reunirá hoje com o comissário extraordinário da Alitalia, Augusto Fantozzi, disse que a companhia aérea deve apresentar imediatamente "um plano de emergência com uma redução de despesas".

Se reduz assim o tempo disponível para conseguir salvar a companhia aérea, que tem 49,9% de participação do Estado italiano, já que anteriormente Riggio tinha falado em 10 dias para apresentar um plano de saneamento.

O presidente do Enac revelou também que foi concedida à Alitalia uma licença provisória enquanto negociava sua possível aquisição pela Companhia Aérea Itália (CAI), formada por um grupo de empresários italianos que tinha se mostrado disponível a investir para adquirir a companhia aérea.

Mas, após semanas de negociações, a CAI retirou na semana passada sua oferta de compra depois da rejeição de seu plano industrial por parte dos sindicatos autônomos, acabando assim com a única solução que existia para salvar a Alitalia da quebra.

Para evitar a falência, o comissário extraordinário lançará hoje a partir do site da empresa uma licitação pública para buscar novas ofertas de compra. EFE ccg/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.