Berlim, 19 mar (EFE).- O Governo alemão não quer descartar ajudas do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a Grécia, apesar de parte da base que este passo não será necessário.

"O Governo não descarta ajudas do FMI à Grécia", disse hoje seu porta-voz, Ulrich Wilhelm, que, no entanto, acrescentou que o executivo não tomou uma decisão a respeito.

O ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, se mostrou no passado repetidamente contra a opção de que um país da zona do euro recorra ao FMI.

Wilhelm buscou hoje minimizar o debate ao ressaltar que o Governo alemão continua confiando em que "os esforços de consolidação da Grécia terão êxito".

O debate voltou a se acender após a recusa da chanceler, Angela Merkel, de dar ajudas "precipitadas" à Grécia, e mostrar-se assim contrária a fechar um pacote de auxílio no Conselho Europeu que será realizado na próxima semana.

O primeiro-ministro grego, Yorgos Papandreu, por sua vez, pediu aos líderes europeus a aprovação do mecanismo de ajuda já na próxima semana em Bruxelas, com o objetivo de lançar um sinal aos mercados.

Papandreu insistiu em que Grécia não precisa, por enquanto, do dinheiro de seus parceiros europeus, mas explicou que a mera habilitação deste mecanismo poderia representar um apoio muito valioso para seu país, porque ajudaria um barateamento dos custos de refinanciamento de seu grande déficit, ao apaziguar aos mercados.

EFE ih/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.