Tamanho do texto

Maior economia da Europa cresceu no segundo trimestre em seu ritmo mais rápido desde a reunificação

A Alemanha vai manter sua meta de levantar cerca de 65 bilhões de euros (US$ 83,19 bilhões) em novas dívidas neste ano, apesar do crescimento econômico recorde e de arrecadar bilhões a mais em receitas fiscais, disse neste sábado o ministro de Finanças do país.

"O ministro continua esperando uma nova dívida em torno de 65 bilhões de euros será necessária neste ano", afirmou um porta-voz de Wolfgang Schäuble.

A maior economia da Europa cresceu no segundo trimestre em seu ritmo mais rápido desde a reunificação, mostraram dados na sexta-feira, uma vez que as companhias aceleraram o investimento e as exportações avançaram, no mais recente sinal de que a retomada ganhou tração.

O Produto Interno Bruto (PIB) alemão cresceu 2,2% no segundo trimestre, superando todas as projeções apuradas em uma pesquisa da Reuters com 34 economistas. O dado levou alguns analistas a esperar um crescimento anual acima de 3%.

Após os números, o instituto alemão para a economia global (IfW, na sigla em inglês) estimou uma adição de 11 bilhões de euros nas receitas com impostos neste ano e de cerca de 15 bilhões de euros em 2011, de acordo com reportagem publicada no jornal Rheinische Post.

Em maio, o ministro de Finanças disse esperar que as receitas fiscais alcançassem 510 bilhões de euros neste ano e 515 bilhões de euros no próximo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.