BERLIM (Reuters) - A Alemanha está pronta para fazer sua contribuição ao pacote de resgate à Grécia se o Fundo Monetário Internacional (FMI), a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE) decidirem que Atenas precisa da ajuda, disse o ministro alemão das Finanças.

"O conselho da UE discutirá o pedido da Grécia. Mas não tomará uma decisão até que o Banco Central Europeu, a Comissão da UE e o Fundo Monetário Internacional cheguem juntos à conclusão de que as condições para ativar o mecanismo são presentes -- em outras palavras, a chamada situação de último recurso", disse Wolfgang Schaeuble a jornalistas em Berlim.

BERLIM (Reuters) - A Alemanha está pronta para fazer sua contribuição ao pacote de resgate à Grécia se o Fundo Monetário Internacional (FMI), a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu (BCE) decidirem que Atenas precisa da ajuda, disse o ministro alemão das Finanças.

"O conselho da UE discutirá o pedido da Grécia. Mas não tomará uma decisão até que o Banco Central Europeu, a Comissão da UE e o Fundo Monetário Internacional cheguem juntos à conclusão de que as condições para ativar o mecanismo são presentes -- em outras palavras, a chamada situação de último recurso", disse Wolfgang Schaeuble a jornalistas em Berlim.

"E, somente então, haverá essa clareza sobre um programa de reestruturação para a Grécia nos próximos dois anos."

Falando após o primeiro-ministro grego, George Papandreou, ter pedido nesta sexta-feira a ativação do pacote de ajuda, Schaeuble disse que a Alemanha precisa defender a estabilidade do euro para o futuro.

(Reportagem de Erik Kirschbaum e Paul Carrel)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.