Na agenda econômica, o momento mais aguardado da semana será a decisão sobre a taxa básica de juros da economia (Selic), na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que ocorre na terça e na quarta-feira. Há um consenso no mercado financeiro de que haverá um corte de juros, mas a magnitude causa divergências.

De um total de 61 analistas consultados pela Agência Estado na semana passada, 30 acreditavam que o corte seria de 0,50 ponto porcentual.

Além do Copom, a semana reserva vários outros dados importantes. Na segunda-feira (19), a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) trará o resultado da inflação da capital paulista referente à segunda quadrissemana de janeiro. No mesmo dia, o Banco Central divulgará mais uma pesquisa Focus, com as estimativas do mercado financeiro sobre as principais variáveis macroeconômicas do País. Também o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) anunciará mais um resultado parcial da balança comercial brasileira de janeiro.

Já na terça-feira, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) tornará público o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) referente a novembro. Na quarta-feira, quando o Copom informará o rumo da política monetária, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgará o resultado da segunda prévia do IGP-M de janeiro. Na primeira, o índice caiu 0,31% após avançar 0,14% em igual prévia em dezembro.

Na quinta-feira (22), é a vez da taxa de desemprego de dezembro. Em novembro, o nível de pessoas fora do mercado de trabalho estava em 7,60% da População Economicamente Ativa (PEA). Na sexta-feira, serão conhecidas duas taxas de inflação: o IPC-S, da FGV, referente à terceira quadrissemana de janeiro, e o IPCA-15 de janeiro, do IBGE.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.