Tamanho do texto

wLima, 4 jul (EFE).- O presidente peruano, Alan García, disse hoje que a guerra mundial do petróleo, que elevou dramaticamente os preços do produto, envenena as economias do planeta em detrimento dos mais pobres.

Em um ato oficial em Lima, o chefe de Estado peruano pediu para que se enfrente o aumento de 150% do preço do barril de petróleo nos dois últimos anos com "sensatez e realismo", segundo um comunicado de imprensa do Palácio de Governo.

Também considerou que o Peru foi um dos poucos países do mundo a enfrentar com sucesso esta crise internacional e, por isso, os preços dos combustíveis se mantêm nos níveis de 2006, acrescentou o documento oficial.

Ao se referir à greve geral da próxima quarta-feira, convocada pela Confederação Geral de Trabalhadores do Peru (CGTP), García exigiu a seus organizadores propostas para baixar o preço internacional do petróleo e do milho, que provocaram um aumento dos custos dos alimentos no planeta.

Apesar do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) ter sido de 8,9% em 2007, o Peru ainda tem 40% de sua população vivendo em situação de pobreza, e é cenário de constantes protestos sociais.

EFE wat/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.