SÃO PAULO - A Airbus apresentou ontem a sindicatos seu novo programa de reestruturação, que se soma ao projeto anterior. Segundo a fabricante européia, os cortes anunciados no primeiro plano, lançado no início de 2007, não serão suficientes para sustentar o crescimento da companhia.

Originalmente, o programa então chamado Power8, tinha o objetivo de economizar 2,1 bilhões de euros em 2010. Com a desvalorização do dólar ainda pressionando seus custos, a empresa então decidiu rever o plano, rebatizado de Power8+, para obter mais 650 milhões de euros em economias no período entre 2011 e 2012.

Essa economia, afirma a Airbus, virá de 350 milhões de euros de ganhos em eficiência tanto em 2011 como em 2012, além de uma nova rodada de internacionalização de trabalho de engenharia e produção. Isso poderá elevar ainda mais o número de demissões na companhia, que originalmente deveria atingir cerca de 10 mil trabalhadores, com o fechamento ou venda de seis unidades fabris na Europa. Segundo a companhia, a transferência de mais postos de trabalho para fora da zona do euro deverá gerar mais 300 milhões de euros em economias.

O Power8 é a peça central dos esforços de reestruturação e integração da Airbus e temos sido muito bem sucedidos em alcançar nossas metas até agora, disse o presidente e executivo-chefe da empresa, Tom Enders. Entretanto, os mercados e a competição continuam difíceis. Novas medidas para melhorar nossa estrutura de custos e eficiência em geral são necessárias para assegurar a competitividade de longo prazo de nossa companhia, afirmou.

Segundo Enders, adotando uma maior internacionalização, a empresa reduz custos, se beneficia de mão de obra especializada de outras regiões, além de apoiar as atividades principais na Europa. A companhia não informou quantas posições serão transferidas das fábricas européias para unidades em outras regiões.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.