SÃO PAULO - A AIG teve perda líquida de US$ 5,29 bilhões no último trimestre de 2007, resultado bem pior do que o registrado em igual período de 2006, quando a seguradora ganhou US$ 3,44 bilhões. Ajustado, o prejuízo foi de US$ 3,2 bilhões, ante lucro líquido de US$ 3,85 bilhões dos três últimos de 2006.

No ano passado completo, porém, a seguradora ficou no azul, com ganho de US$ 6,2 bilhões em uma base líquida. O montante acabou menor, porém, do que aquele visto em 2006, de US$ 14,05 bilhões de lucro líquido. Com ajuste, o lucro ficou em US$ 9,31 bilhões em 2007, inferior aos US$ 15,41 bilhões do ano anterior.

Incluídas no balanço do trimestre final de 2007 estão despesas extraordinárias de US$ 11,12 bilhões antes de impostos, associadas a perdas com investimentos.

Após a apresentação dos resultados, em conversa com analistas, o executivo-chefe da AIG, Martin Sullivan, comunicou a aposentadoria de Joe Cassano, executivo-chefe da unidade de derivativos do grupo, em 31 de março. No lugar dele, assumirá interinamente Bill Dooley, que ficará com a responsabilidade das operações cotidianas da AIG Financial Products.

Cassano permanecerá como consultor da AIG para o restante do ano enquanto a empresa procura por um novo executivo para a unidade de derivativos.

As informações são da AIG e agências internacionais.

(Juliana Cardoso | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.