Tamanho do texto

A Agência Internacional de Energia (AIE) reduziu hoje sua previsão para a demanda mundial por petróleo em 100 mil barris por dia este ano e em 140 mil barris por dia em 2009, para 86,8 milhões de barris por dia em 2008 e 87,6 milhões de barris por dia no ano que vem. A revisão em baixa reflete a fraqueza em nações da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), como os Estados Unidos, que devem ter a menor taxa de consumo de petróleo em anos, disse a agência em seu relatório mensal sobre o mercado.

A OCDE reúne 30 países, que produzem mais da metade de toda a riqueza do mundo. O Brasil não faz parte da organização.

Para a agência, a demanda por petróleo nos EUA deve encolher 3,6% em 2008, para 19,9 milhões de barris por dia, e 1,9% em 2009. A AIE também alertou que a fraqueza na demanda dos EUA pode ser uma tendência de longo prazo.

Segundo a AIE, mesmo se for esse o caso, a demanda fora da OCDE, em lugares como China, está representando um papel crítico na estabilização do consumo mundial geral. O crescimento da demanda este ano na China, o segundo maior consumidor mundial de petróleo, bem atrás dos EUA, ainda deve ser de 5,9% e, no próximo ano, de 5,3%.

Essa demanda, junto com a oferta mais lenta fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), irá manter uma correia apertada na oferta global de petróleo. A AIE alertou que a oferta mundial de petróleo permanece relativamente apertada e vulnerável a falhas em lugares como Nigéria.

Dentro desse tema, a agência revisou novamente em baixa as expectativas para o crescimento da oferta este ano em produtores fora da Opep, como o México, em 180 mil barris por dia. Segundo a AIE, o ajuste significa que a demanda por petróleo da Opep irá aumentar no último trimestre deste ano em 300 mil barris por dia. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.