Paris - A Agência Internacional da Energia (AIE) revisou hoje para baixo suas previsões sobre a demanda mundial de petróleo para 2008 e 2009, por considerar que o esfriamento da economia e os altos preços do barril afetaram mais que o esperado as pautas de consumo nos países ricos.

Em seu relatório mensal sobre o mercado petroleiro publicado hoje, a AIE estimou que a demanda global será de 86,8 milhões de barris diários este ano, ou seja, 700 mil barris a mais por dia que em 2007, mas 100 mil a menos do que tinha calculado no mês passado.

Para 2009, o consumo subirá até 87,6 milhões de barris diários, uma alta de 900 mil barris em relação a 2008, mas 160 mil menos do que o previsto em agosto, segundo o relatório desta entidade, que reúne a maior parte do mundo desenvolvido.

Os analistas da agência cifram em 2008 o consumo dos membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) em 48,4 milhões de barris diários, ou seja, 800 mil a menos que em 2007.

A queda na OCDE continuará em 2009, com 47,9 milhões de barris diários, o que significa que a AIE reduziu os números do conjunto dos países ricos para os dois anos em 160 mil barris em apenas um mês.

Sobre os preços do barril, os autores do relatório lembraram que se encontram em seu nível mais baixo desde abril, após uma queda contínua e forte nos últimos dois meses, diante da constatação do enfraquecimento da demanda e do aumento das reservas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.