Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

AIE prevê oferta restrita de petróleo até 2013

O mundo ficará altamente pressionado nos próximos cinco anos para produzir petróleo suficiente com o objetivo de atender ao crescente consumo global, alertou hoje a Agência Internacional de Energia (AIE), com sede em Paris. Em seu relatório anual de projeções para o médio prazo, que estima as condições do mercado até 2013, a agência prevê restrição na oferta mundial de petróleo superior à prevista anteriormente, em conseqüência do fraco desempenho econômico mundial, mesmo com a alta dos preços do petróleo e a desaceleração econômica reduzindo a demanda.

Agência Estado |

A AIE disse que a capacidade de oferta de petróleo deverá crescer para 96,2 milhões de barris ao dia em 2013, de 90,4 milhões de barris ao dia este ano, incluindo a capacidade de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a produção de gás líquido da Opep e a produção dos países fora da Opep.

Entretanto, a maior parte de tal crescimento virá ao mercado em breve e, entre 2011 e 2013, a capacidade irá crescer anualmente menos de 1 milhão de barris de petróleo ao dia.

O crescimento da oferta de petróleo entre países não membros da Opep deverá cair para níveis mínimos até 2013. A oferta de petróleo cru da Opep deverá crescer à taxa anual de 2,5 milhões de barris ao dia, para atingir 37,9 milhões de barris ao dia até 2013 - 1 milhão de barris ao dia abaixo da previsão feita no ano passado.

Capacidade produtiva

A capacidade de produção não utilizada da Opep irá subir para até 4,3 milhões de barris ao dia em 2010, para então cair para 1 milhão de barris ao dia até 2013, disse a AIE, de 1,95 milhão de barris atualmente. Isto significa que até 2013, se a Opep sentir que é necessário exportar mais petróleo para minimizar problemas no abastecimento ou de outro tipo e reequilibrar o mercado, será capaz de distribuir apenas um montante adicional equivalente a apenas um pouco mais de 1% do consumo mundial de petróleo - porcentual que o relatório descreve como "desprezível".

"Não há sinal claro de que haverá recuperação na capacidade (de produção) de petróleo no médio prazo", disse a AIE, que atua como consultoria de energia para os países mais industrializados do mundo.

Preços

Segundo a AIE, os níveis atuais de preço do petróleo, que já superaram US$ 140,00 o barril, são um reflexo preciso de tais perspectivas obscuras. "Todos querem uma explicação simplista para a alta dos preços. A realidade é que há uma multidão de ações relacionadas", algumas delas envolvendo mudanças estruturais na economia mundial dos últimos anos, disse o relatório.

Segundo a AIE, o primeiro dos motivos é a demanda por petróleo, que está crescendo forte nas nações em desenvolvimento da Ásia, do Oriente Médio e da América Latina, em relação a uma oferta modesta. As informações são da Dow Jones.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG