Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

AIE prevê nítida desaceleração do aumento da oferta de petróleo para 2010

A Agência Internacional de Energia (AIE) lançou um alerta nesta terça-feira, em Madri, sobre a possível desaceleração do aumento da oferta de petróleo a partir de 2010

AFP |

Esta queda está prevista para o exato momento em que o crescimento econômico, e consequentemente a demanda de petróleo, deveriam ganhar força, indicou a AIE, em seu relatório sobre as perspectivas a médio prazo apresentadas no XIX Congresso Mundial do Petróleo, que acontece esta semana na capital espanhola.

Se a previsão da AIE for confirmada, a demanda de petróleo para alimentar a retomada do crescimento mundial aumentará justamente no momento em que a oferta se tornará mais escassa, desencadeando novas altas dos preços do barril de petróleo.

O preço do barril de cru, que vem registrando altas vertiginosas há vários meses, rompeu na segunda-feira o patamar histórico de US$ 143, mas voltou a cair logo em seguida.

Para os próximos 18 meses, a Agência Internacional considera possível um "pequeno aumento da oferta" em razão da desaceleração do crescimento e da entrada em produção de um número significativo de projetos petroleiros, em seu relatório.

Em seguida, a partir de 2010, "a taxa de expansão anual vai cair consideravelmente de 1,5 a 2,5 milhões de barris por dia até lá, a menos de um milhão de barris por dia", indicou a AIE.

"Isto vai reduzir a capacidade de produção excedente da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) a níveis mínimos em 2013", segundo a agência.

Comparada às perspectivas a médio prazo publicadas ano passado, a AIE revisou em baixa de 3,43 milhões de barris suas previsões de demanda em cinco anos. Segundo a agência, a demanda deve aumentar a um ritmo de 1,6% em média, passando de 86,9 milhões de barris por dia em 2008 a 94,1 milhões de barris por dia em 2013.

"O crescimento da demanda continuará concentrado nas economias emergentes, 90% delas da Ásia, da América do Sul e do Oriente Médio", destacou a agência.

A agência também revisou em baixa suas previsões de oferta fora da Opep e suas estimativas de capacidade de produção da Opep em relação a seu relatório do ano passado.

A produção dos países que não pertencem à Opep deve aumentar de 55,05 milhões de barris por dia em 2008 para 57,5 milhões de barris por dia em 2012 e para 58,29 milhões de barris por dia em 2013. Assim, a AIE reduziu em 1,42 milhão de barris por dia a previsão de oferta dos países que não são membros da Opep, em relação a seu relatório anterior.

A oferta da Opep deve passar de 35,34 milhões de barris por dia em 2008 para 37,58 milhões de barris por dia em 2012 e 37,87 milhões de barris por dia em 2013. O dado de 2012 foi reduzido em 1,25 milhão de barris por dia.

Além disso, a AIE considera que a alta do petróleo não é provocada pela especulação e sim por outros fatores, principalmente o temor a uma escassez da oferta.

"Muitas vezes encontrar um bode expiatório para os preços elevados é um caso de conveniência política, mais fácil do que fazer uma análise séria que poderia envolver o enfrentamento de decisões difíceis", afirma o relatório da AIE.

"Culpar a especulação é uma solução fácil que evita tomar os passos necessários para melhorar o acesso e o investimento do lado da oferta ou implementar medidas para melhorar a eficiência energética", completa a AIE.

ded-fz/lm/fp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG