Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

AIE adverte Opep sobre impacto econômico do corte da produção do cartel

Paris, 20 out (EFE).- O diretor-executivo da Agência Internacional de Energia (AIE), Nobuo Tanaka, advertiu hoje, em Paris, que um corte substancial da produção petrolífera decidida pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) afetaria a economia mundial.

EFE |

Um corte da extração de petróleo "teria um impacto sobre a recuperação da economia mundial", advertiu Tanaka, em entrevista coletiva, acrescentando que "esperamos que a Opep leve em conta todos os elementos".

O presidente da Opep e ministro do Petróleo argelino, Chakib Khelil, tinha se mostrado favorável ontem a que o cartel reduza de forma "importante" sua produção, diante da situação do mercado, que empurra os preços para baixo.

O petróleo da Opep ficou na sexta-feira passada abaixo dos US$ 64 por barril.

Khelil não quis precisar em quanto a Opep reduziria sua produção, e indicou apenas que, se fosse necessário, a redução seria em cerca de 2 milhões de barris diários.

Tanaka disse que "o mercado está muito tenso" e que só se a Opep mantiver sua atual produção será possível reconstituir as reservas dos países consumidores.

O diretor-executivo da AIE disse que o corte no consumo que a Opep anunciou em seu recente relatório mensal responde às perspectivas de arrefecimento nos países desenvolvidos.

No entanto, em seguida, especificou que as perspectivas não são as mesmas nos países emergentes, nos quais "é preciso examinar cuidadosamente o que ocorrerá".

Tanaka não quis cifrar o impacto de uma eventual diminuição do cartel, porque disse não saber em quanto a reduziria.

A redução da produção da Opep será debatida pelo cartel em Viena no próximo dia 24, em reunião prevista inicialmente para 18 de novembro e que foi antecipada diante da queda dos preços e da redução da demanda mundial. EFE ac/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG