Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Agroindústria cresceu 4,2% no primeiro semestre

Rio de Janeiro, 6 ago (EFE).- A produção da agroindústria brasileira cresceu 4,2% no primeiro semestre em comparação ao mesmo período do ano passado, informou hoje o IBGE.

EFE |

A expansão do setor entre janeiro e junho foi favorecida pela atual crise mundial de alimentos, que aumentou a demanda internacional e elevou os preços destes produtos, indica o IBGE.

"O cenário externo é favorável para a agricultura, com crescimento do volume exportado e dos preços", afirma a entidade.

O Brasil é um dos maiores celeiros mundiais e o maior exportador mundial de carnes bovina e de frango, soja, café, suco de laranja, açúcar e etanol extraído da cana-de-açúcar.

"O crescimento mundial do consumo de alimentos, impulsionado pelo bom desempenho das economias dos países em desenvolvimento, a produção de biocombustível, a elevação dos preços internacionais dos produtos agropecuários e a crescente inserção dos produtos brasileiros nos mercados externos contribuíram para o avanço das exportações", diz.

O bom desempenho do setor também foi atribuído ao "crescimento da safra e ao aumento do consumo do mercado interno, por conta da expansão da renda".

Segundo as previsões do Governo, a safra de grãos este ano alcançará a cifra recorde de 143,6 milhões de toneladas, a maior da história do país, e superará em 7,9% a do ano passado (133,1 milhões de toneladas), que também foi recorde.

A produção dos setores industriais associados à agricultura expandiu 3,2% e os relacionados à pecuária cresceram 1,6%.

No entanto, o crescimento da agroindústria no primeiro semestre ficou abaixo da expansão de 4,8% do mesmo período de 2007.

A expansão setorial no semestre também ficou abaixo da prevista para a indústria em geral (6,3%) no mesmo período.

Tal disparidade foi atribuída ao tímido crescimento da pecuária no primeiro semestre (1,6%) como conseqüência "do embargo às exportações brasileiras de carne bovina pela União Européia (UE)".

O embargo, que já foi suspenso para algumas fazendas que contam com licença para venderem seus produtos para o bloco europeu, impactou negativamente a produção de derivados de carne bovina e suína no primeiro semestre, que registrou retração de 3,7%.

O crescimento do setor, no entanto, aumentou a renda dos produtores e expandiu a produção dos fabricantes de máquinas e equipamentos agrícolas em 43,5%, dos de adubos e fertilizantes em 10,3%, e dos de rações em 7,5%.

Entre os subsetores da agroindústria com melhor desempenho, se destacaram inseticidas, herbicidas e outros defensivos para uso agropecuário (46,6%), graças à expansão dos cultivos de soja, cana-de-açúcar e milho.

Em contrapartida, o segmento de madeira registrou uma retração no semestre de 24,2% em conseqüência da queda das exportações.

Apesar dos resultados positivos do semestre em geral, o IBGE advertiu que após ter crescido 6,1% no primeiro trimestre do ano, a agroindústria desacelerou e expandiu apenas 2,8% entre abril e junho.

Esta desaceleração foi provocada principalmente pela agricultura, cuja produção aumentou 6,9% no primeiro trimestre e apenas 0,8% no segundo. EFE cm/wr/fal

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG