Centenas de agricultores protestaram em Oslo contra uma proposta para a Rodada Doha, da Organização Mundial de Comércio (OMC), de reduzir as tarifas sobre as importações agrícolas para a Europa, alegando que a ação tiraria 40 mil agricultores de seus empregos somente na Noruega. Vestidos em camisas brancas com a frase Briga na OMC, entre 300 e 400 agricultores marcharam na capital norueguesa exigindo que o governo rejeite a proposta.

Em encontro em Genebra, que pretende concluir a Rodada Doha de negociações de comércio global, o Comissário de Comércio da União Européia, Peter Mandelson, sugeriu na segunda-feira a redução de tarifas em importações agrícolas para o bloco em 60%, em média. A proposta tem sido criticada tanto pelas nações em desenvolvimento, que insistem que o corte ainda não é suficiente para equilibrar o campo de disputa, quanto por diversos países europeus, que exigem mais concessões em troca.

Embora a Noruega não seja um membro da União Européia, o país tende a seguir a direção da região nas negociações internacionais e agricultores noruegueses temem que o acordo leve a um fluxo de importações agrícolas baratas ao país.

Segundo o principal sindicato agrícola da Noruega, o Norges Bondelag, tal acordo levaria à perda de 40 mil dos aproximadamente 60 mil empregos de tempo integral no setor. O ministro da Agricultura da Noruega, Lars Peder Brekk, considerou o argumento alarmista, mas admitiu em entrevista à rede de televisão TV2 que um acordo em Genebra faria "uma adaptação necessária" no tradicionalmente protegido setor agrícola da Noruega. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.