O secretário Extraordinário de Reformas Econômico-Fiscais do Ministério da Fazenda, Bernard Appy, admitiu que a decisão de zerar a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para os investimentos estrangeiros em aplicações de renda fixa beneficiará a entrada de capital de curto prazo - chamado especulativo. Ele disse que, nesse momento de crise, o Brasil não pode discriminar qualquer tipo de capital.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.