Multar caminhões circulando irregularmente na capital virou uma tarefa difícil para os agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Os marronzinhos, assim como os caminhoneiros, têm muitas dúvidas e sofrem com a desinformação em torno das novas regras de restrição.

De acordo com o presidente do sindicato dos fiscais de trânsito, o Sindviários, Luiz Antônio Queiroz, são freqüentes as confusões diante de caminhões de mudança, por exemplo, que pelo decreto estão autorizados a circular. "E se for um caminhão escrito mudança, mas estiver transportando carga?" Também os caminhões-baú, cuja carga não pode ser identificada, são difíceis de serem fiscalizados.

Nos três primeiros dias de fiscalização, foram aplicadas 3.302 autuações. Ontem foram 959 somente até as 17 horas, mantendo a média de uma multa a caminhoneiro a cada 45 segundos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.