Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Agenda doméstica tem IPCA e produção industrial

As divulgações do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPC) de dezembro bem como da inflação fechada de 2008 e a produção industrial de novembro devem ser os principais destaques da agenda de indicadores econômicos domésticos na primeira semana completa de 2009. Os números sobre a inflação do mês passado e o acumulado no ano serão divulgados sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Agência Estado |

Segundo a mediana das expectativas dos analistas do mercado na Pesquisa Focus, espera-se que o IPCA de dezembro feche mostrando uma inflação de 0,40%. Esta taxa, se for confirmada, ficará praticamente igual à variação determinada pelo reajuste médio de 0,36% dos preços em novembro. Para o fechamento do ano, a pesquisa aponta para uma inflação de 6,03%. Até novembro, o IPCA acumulava no ano uma inflação de 5,61% e em 12 meses, alta de 6,39%.

A produção industrial, por sua vez, será anunciada pelo IBGE na terça-feira. Trata-se de um indicador até certo ponto defasado por apresentar o resultado da indústria no mês de novembro, mas que dará a dimensão em relação aos efeitos da crise econômica e financeira internacional sobre a atividade fabril naquele mês. Em outubro, primeiro mês em que os impactos da crise estiveram presentes do começo ao fim do período, a produção industrial sofreu uma queda de 1,70% na margem e um pequeno crescimento, de 0,80%, na comparação de outubro com o mesmo mês de 2007.

Ainda na terça-feira, será divulgado o IPC-Fipe de dezembro, que mede a taxa de inflação na capital paulista. Em novembro o indicador registrou uma alta média de 0,39% nos preços de bens e serviços na cidade de São Paulo. No ano, até aquele mês, o IPC-Fipe acumulava alta de 5,99%. Na Focus, a mediana aponta para uma inflação de 6,43% no encerramento de 2008. Na sexta-feira, a Fipe comunica a variação do IPC na primeira quadrissemana do ano.

Calendário

O calendário de divulgações se inicia já amanhã, quando serão conhecidos o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) referente a dezembro e o Relatório de Mercado, mais conhecido como Pesquisa Focus. O IPC-S fechou em novembro com uma alta de 0,56%, taxa que já foi maior que a de 0,47% em outubro. Entre outras coisas, o que mais pressionou a inflação apurada pelo IPC-S foram os alimentos in natura, que exercem grande peso sobre o indicador e que no final do ano, por pressões sazonais, acabam tendo seus preços fortemente elevados.

Para a quarta-feira, a agenda de indicadores domésticos reserva espaço apenas para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de dezembro, da Fundação Getúlio Vargas. Em novembro, esse indicador fechou com uma ligeira alta de 0,07%, refletindo a queda de 0,64% dos preços no atacado agrícola e a estabilidade dos preços industriais. Para o mês passado, se for seguido o que mostrou o IGP-M (-0,13%), o IGP-DI já poderá vir com uma variação negativa dos preços. Neste caso, os agrícolas continuariam negativos e os industriais viriam para o mesmo lado.

Na quinta-feira, a FGV volta anuncia a primeira quadrissemana do IPC-S de janeiro de 2009 e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) informa em quanto fechou a inflação na capital paulista no âmbito do Índice do Custo de Vida (ICV-Dieese). Em novembro o ICV fechou em alta de 0,53%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG