As três principais agências de classificação de risco do mundo rebaixaram os ratings de crédito da American International Group (AIG), frustrando as esperanças de se salvar uma das maiores seguradoras do mundo em meio à escalada da crise financeira. Os rebaixamentos são provavelmente o toque fúnebre para a AIG, tornando mais difícil que a gigante norte-americana levante o dinheiro necessário para lidar com sua própria crise de liquidez.

A Standard & Poor's (S&P) rebaixou seu rating de contraparte de longo prazo, de AA- para A-, e seu rating de crédito de contraparte de curto prazo sobre a AIG de A1+ para A2, segundo um comunicado da agência. "A principal razão para as ações de rating é a combinação de flexibilidade reduzida em reunir as necessidades de colaterais adicionais e as preocupações sobre o aumento das perdas relacionadas a hipotecas residenciais", afirmou o analista da S&P, Rodney Clark.

A Moody´s rebaixou a AIG de AA3 para A2, e a Fitch reduziu sua nota de AA para A. A seguradora tinha conseguido um respiro nesta segunda-feira, quando as autoridades disseram que a companhia poderia tomar emprestado cerca de US$ 20 bilhões das suas subsidiárias. Mas a medida não conseguiu impressionar os investidores, já que as ações da AIG afundaram cerca de 61% e perderam cerca de US$ 20 bilhões em valor de mercado. Em apenas um ano, o grupo perdeu 93% de seu valor e agora vale cerca de US$ 12,8 bilhões. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.