A agência de notícias norte-americana Associated Press (AP) pretende reduzir em 10% seu número de funcionários em 2009, principalmente por meio de aposentadorias antecipadas, anunciou nesta quinta-feira o diretor-geral Tom Curley.

Segundo um porta-voz, Paul Colford, o diretor da agência anunciou essa medida de austeridade (que se soma ao congelamento das contratações) durante uma reunião com os funcionários em Nova York.

"A Associated Press, como quase todas as empresas no mundo, está redefinindo a sua estratégia para se adaptar a este contexto financeiro difícil", indica o comunicado oficial, "todos os setores e todos os protocolos de funcionamento serão revisados".

A AP é uma cooperativa pertencente a 1.500 jornais norte-americanos e emprega 4.100 pessoas, entre elas 3.000 jornalistas.

A direção teve que desistir de um aumento de suas tarifas devido aos protestos de alguns diários em dificuldades devido à queda das receitas obtidas com publicidade.

No mês passado, o grupo Tribuna, proprietário entre outros do Los Angeles Times e do Chicago Tribune, anunciou que rescindirá seu contrato dentro de dois anos.

A AP é uma das três maiores agências de notícias mundiais, ao lado da britânica Reuters (group Thomson Reuters) e da Agência France Presse.

cl/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.